terça-feira, 20 de outubro de 2015

Meu chamado é a minha vocação

Não, eu não tive doente e fui curada. Não, eu nunca usei drogas ou bebidas alcoólicas e fui livrada... Meu testemunho é bem simples. 
Costumo dizer que sou um fruto do EJC. Sim, daquele grupo de jovens que um dia eu critiquei. Mas, que foi através deste grupo que eu me encontrei pela primeira com Jesus Cristo, e tudo começou a fazer sentido a partir daquele final de semana. Senti uma sede incontrolável desse Amor. Um ano depois em um retiro de carnaval na cidade de Bananeiras - PB, pela Comunidade Doce Mãe de Deus, tive meu encontro pessoal novamente com Deus, um encontro lindo, que não consigo expressar-me com meras palavras, com a Bíblia na mão li "Por isso, vos exorto, irmãos, pela misericórdia de Deus, a que ofereçais os vossos corpos como sacrifício vivo, santo, agradável a Deus. Seja este o vosso verdadeiro culto, o espiritual.
Não vos acomodeis a este mundo. Pelo contrário, deixai-vos transformar, adquirindo uma nova mentalidade, para poderdes discernir qual é a vontade de Deus: o que é bom, o que lhe é agradável, o que é perfeito." (Romanos 12: 1-2) e senti algo em meu coração, algo que... não sei explicar, mas algo bom. Eu pedi ao Senhor Jesus que me mostrasse o que Ele queria de mim, repousei no Espírito Santo pela primeira vez, tremi de medo, foi uma experiência única, logo após uma pregadora lembrou que se alguém quisesse partilhar (conversar) que procurassem os consagrados da comunidade, e uma irmã me chamou "Raissa, vem." e segurando minha mão, olhou para a pregadora e disse "essa já é minha." Recordei do meu Encontro Com Cristo, o EJC, cujo tema foi "Não temas, eu te resgato. Te chamo pelo nome, és meu." (Isaías 43: 1) e mais uma coisa fez sentido. Nunca me senti tão amada e acolhida por Deus, depois que aquele tema fez sentido na minha vida. 
Fiz um encontro vocacional na CDMD, e logo depois comecei a ingressar na comunidade, entrei no Emanuel (a primeira fase de formação), concluí o Seminário de Vida no Espírito Santo, mas Deus sabe de todas as coisas, e Ele nos mostra a sua vontade, sofri um acidente caindo da escada na faculdade, tendo que faltar ao Retiro do Emanuel, um retiro fundamental para a fase de formação, perdi também o curso de Mariologia, faltei reuniões e com isso fui suspensa do Emanuel, fui comunicada pelo meu formador, e essa ultima mensagem que o mesmo me mandou... Eu poderia ser uma ovelha perdida, eu poderia ter desistido de tudo, e ignorar a voz de Deus... Mas algo me segurou, algo me segurou com tanta força que isso nunca passou pela minha cabeça, a única certeza que eu tinha em mente é que Deus me queria... Mas, chegou um momento que eu voltei a sentir sede, mesmo indo para a igreja todos os dias, mesmo visitando Jesus no Sacrário todos os dias, mas eu sentia uma sede de Deus. Em uma de tantas partilhas com o Padre de minha cidade, algo tocou o meu coração com a ideia de criar um Grupo de Oração conversei com alguns amigos do EJC, e o criamos, nunca pensei em conduzir um grupo, de estar à frente, tímida, mas Deus é fiel. Ele me conduziu, o grupo já tem dois meses de formação, foram realizadas quatro reuniões e duas vigílias, e isso saciou um pouco a minha sede. Mas, sinto que Deus quer mais de mim. Comecei a fazer minhas orações baseadas em uma frase de São Francisco de Assis "Senhor, o que queres que eu faça?" E Ele me respondeu, para ser sincera Ele havia me respondido bem antes que eu perguntasse, mas eu estava cega, Ele me respondeu com sonhos, com a Sua Palavra, com o Seu amor, me mostrou através de músicas, de abraços das pessoas que eu mais amo, Ele me pediu a minha vida, como sacrifício... É bem difícil tratar sobre isso com os leigos porque é muito raro várias pessoas se apaixonarem por uma só pessoa, um exemplo disso é que quando alguma amiga te fala que brigou com o namorado, você até o julga para tentar deixar tua amiga se sentir menos culpada, até fica com raiva dele, daí tua amiga volta para o namorado, e você os vêem sorrindo, felizes, como se nada tivesse acontecido, e você fica sem entender e se perguntando "como voltaram? Por que voltaram?" mas existe uma coisa entre sua amiga e o namorado dela chamado "amor" e se você não sentir este amor, você nunca vai entender o que se passou... É o mesmo que comer uma fruta doce, ninguém vai saber que a fruta está doce ou azeda se não provar. 



E é assim, que finalizo (por enquanto) este testemunho de amor, espero concluí-lo assim que eu entrar no convento... Mas, sobre minha resposta a Cristo, eu disse e digo todos os dias "Sim, Senhor Jesus, eu aceito, faça em mim o que é de tua vontade, peço para que me use todos os dias, obrigada por ter me escolhido.. Eis-me aqui, Senhor. Nunca mais quero viver longe de Ti, tua semelhança, eu quero ter. Me chamastes pelo nome, me envolveste no amor, e eu quero me envolver neste amor." 


Raissa Barreto

Nenhum comentário:

Postar um comentário